Foto de Antonio Batista

Fotografia de 1957

“E nós brasileiros sofremos o que Deus duvida!

Hoje eu estou vivo; a caminho de oitenta e um anos, por graça de Deus!

 Um dia, eu estava em um PO e se dirigiu na minha direção um pelotão: trinta e seis homens. Trinta e seis é um número de um pelotão, no mundo inteiro. Só tem menos quando alguém sofre uma baixa, o que significa que alguém morreu.

Eu tinha um rádio Toc, me comuniquei com a minha retaguarda, a cem quilômetros de distância, e sabe o que me responderam, apesar de eu estar sozinho?

– Você tem bomba aí?

– Tenho.

– Está com uma metralhadora?

– Estou.

– Está com granada?

– Estou.

– Então se defenda.

O que eu ia fazer? Me defendi. Estou vivo… não sei o que aconteceu do outro lado… não gosto de falar sobre isso.”

 

Entrevistado: Antônio Batista

Entrevistadores: Samara Rabello, Ed Carlos Mendes, Flavio Tauan, Helton Batista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s